sábado, 18 de outubro de 2014

BELISSIMO URUGUAY

URUGUAY




Publicação by Alejandro Cheda.



REPORTAGEM-BOMBA DE 'VEJA'


sábado, outubro 18, 2014

REPORTAGEM-BOMBA DE 'VEJA' ATIRA A PÁ DE CAL SOBRE O PT AO REVELAR QUE O PETROLÃO É O 'MENSALÃO DOIS' QUE FINANCIOU INCLUSIVE A CAMPANHA DA DILMA DE 2010.

Se os brasileiros pensavam que tinham visto tudo sobre a roubalheira promovida pelos governos do PT, incluindo aí, evidentemente, os dois mandatos do bebum de Rosemary, seguidos pelo desastre do “poste”, vermelho estão enganados. Há um estoque de informações verdadeiramente incandescentes e, sobretudo, vergonhosas, do que já foi revelado pelo Paulinho do Lula e por Beto, como carinhosamente era chamado pelos petistas o operador do petrolão. 
E, como não poderia deixar de ser, este é, mais uma vez, o mote para a reportagem-bomba da revista Veja que já está disponível para iPhone e tablet e a versão impressa será desovada no raiar deste sábado pelas bancas de todo o país. Nenhum brasileiro poderá emular o Lula e a Dilma dizendo que não sabia. Mesmo aqueles que por alguma razão não adquiram a revista, ficarão sabendo sim, porque Veja já está pautando os alegres rapazes que conduzem as redações da grande mídia, sobretudo as emissoras de televisão. Mesmo quem não saiba distinguir o A de X, bem como os analfabetos funcionais e aqueles analafabetos por conveniência ficarão sabendo dos detalhes escabrosos da corrupção gigantesca, avassaladora urdida dos porões do Palácio do Planalto locus do bunker comandado por Lula e frequentado por seus sequazes, tendo à frente, como "gerentona" Dilma Rousseff.
Lembram-se das pesadas multas fixadas pelo STF e aplicadas aos mensaleiros condenados no famigerado crime do mensalão? Lembram-se também como eram pagas, digamos assim, de forma descontraída e ligeira pelos petistas? E de onde vem tanto dinheiro que custeia os mais caros programas eleitorais do PT, jatinhos especiais, viagens, equipe de campanha de nível de Hollywood, enfim todo esse aparato monumental que o PT dispõe? Lembram-se, por exemplo, do crime do dossiê fajuto, quando meia dúzia de capangas de Lula foram flagrados com R$ 1,750 milhão em dinheiro para comprar um dossiê fajuto na tentativa de destruir moralmente José Serra? Até hoje não se sabe, ou pelo menos, não se sabia, a procedência dessa grana. À época, Lula do alto do seu cinismo abriu aquela boca suja e fétida de cachaça acusando seus próprios sequazes de "aloprados". Até hoje não foi esclarecida a origem do dinheiro. Todavia, convenhamos, R$ 1,750 milhão é ninharia no mundo glamouroso do poder infinito desses vagabundos malditos, mentirosos e salafrários, cujas partes baixas são lambidas diariamente pela maioria dos jornalistas da grande imprensa brasileira, com destaque para a Folha de S. Paulo que recentemente contratou o chefe dos invasores de propriedades em São Paulo, pau mandado do PT, como colunista semanal do jornal. 
Depois que fecharam os hospícios, aliás uma reivindicação de todos os comunistas e assemelhados, os loucos e psicopatas de todos os gêneros passaram a ser reconhecidos como seres humanos e foram reintroduzidos na sociedade. Boa parte deles dirige redações de jornais, revistas, televisões e sites da internet. Outro tanto, evidentemente, dirige uma Nação como o Brasil!
O que listei nos parágrafos anteriores são apenas fiapos do fabuloso emaranhado de sacanagens (malfeitos uma ova, é sacanagem da grossa) de todos os tipos e gêneros que se tornaram ao longo da última década sob os governos do PT, em eventos normais. Trata-se, portanto, de uma barbaridade inominável, chocante e aterradora.
A reportagem-bomba de Veja desta semana dá mais um mergulho nesse lodaçal da imoralidade e da mentira, revelando aos brasileiros o conteúdo da delação do doleiro Alberto Youssef, mais conhecido pelos íntimos como "Beto".
Quando assinou seu acordo de delação premiada, o doleiro Alberto Youssef prometeu entregar aos investigadores da Operação Lava Jato informações que iriam 'chocar o país'. Reportagem de Veja revela que na semana passada ele cumpriu a promessa: contou que a campanha de 2010 de Dilma Rousseff foi em parte financiada com dinheiro desviado da Petrobras, listou 28 parlamentares que se serviam das propinas e expôs as entranhas do que chamou de 'mensalão dois'.
Isto é apenas um aperitivo do que relata a reportagem-bomba de Veja que deve ser lida por todos os brasileiros sequiosos pela verdade. E o depoente se esmera nos detalhes e ironias, ao qualificar, sem pestanejar, que a gatunagem nos cofres da Petrobras representou o "mensalão dois", corroborando o que os cidadãos brasileiros mais atentos já haviam intuído. Explica-se, portanto, que a explosão do mensalão versão número 1, adiou apenas o plano do PT de transformar o Brasil num apêndice de Cuba. Tanto é que recentemente, por pouco, o decreto 8.243, que joga a pá de cal na democracia representativa, não foi votado, porém continua na pauta. Faz sentido, portanto, que o doleiro Beto se refira à engrenagem da diabólica roubalheira na Petrobras como o "mensalão dois". Grande parte dos parlamentares mergulharam de cabeça no lodaçal, traindo de forma sórdida o povo brasileiro. Vendem-se por 30 dinheiros. A história bíblica se repete no ano de 2014 na Terra de Santa Cruz.
E, para não deixar pedra sobre pedra, a reportagem-bomba de Veja revela, ainda, que a campanha de Dilma Rousseff em 2010 foi adubada com dinheiro procedente do petrolão. Num país verdadeiramente sério essa gente toda estaria na cadeia. 
O verdadeiro faniquito a acometer a Dilma e outros tantos do seu séquito ainda está para acontecer. Mas que vai acontecer, vai. De qualquer maneira!
 
http://aluizioamorim.blogspot.com.br/

domingo, 12 de outubro de 2014

“Instituto” Jean Wyllys aponta racismo e classismo de boa parte dos eleitores de Aécio.


Com base em 1(!) perfil falso, “Instituto” Jean Wyllys aponta racismo e classismo de boa parte dos eleitores de Aécio. Perto disso, Ibope e Datafolha são profetas exemplares

A “linha auxiliar do PT” já está devidamente alinhada à campanha de Dilma Rousseff no segundo turno. Enquanto a militância petista cria perfis de falsos eleitores de Aécio Neves que disseminam comentários racistas e classistas, o deputado Jean Wyllys, do PSOL, que declarou apoio à presidente, contribui com suas acusações cínicas de sempre. Depois de considerar crimes homofóbicos o suicídio(!) de um gay, o assassinato de outro gay por um parceiro gay(!) e até a derrubada de um avião na Ucrânia(!), o psolista tem mais esse post para incluir em seu currículo de rótulos e acusações aos adversários políticos que quer destruir.
Captura de Tela 2014-10-11 às 00.31.42
É o Instituto Jean Wyllys em ação: com base em 1(!) perfil falso, aponta o racismo e o classismo de boa parte dos eleitores de Aécio. Não sei o que seria uma boa parte de 35 milhões de pessoas (um terço, talvez? um terço de mais de 11 milhões?), mas perto desse resultado, Ibope e Datafolha são mesmo profetas exemplares. Agora sabemos de onde vêm as conclusões do PT sobre o “ódio contra nordestinos“. Devem ter encomendado uma pesquisa ao DataWyllys – aquele que xinga os outros do que lhe vem à cabeça e ainda pergunta se “toleraremos isso”.
Eis a imagem anexada ao post do deputado:
Karine
Uma rápida busca na internet mostra que o perfil já é denunciado desde 2011, em site que remete à matéria do portal Terra “Neonazistas usam perfis falsos no Twitter para conteúdo racista“, na qual uma Karine é citada como exemplo.
Captura de Tela 2014-10-11 às 00.41.14Captura de Tela 2014-10-11 às 00.41.04
O que os eleitores de Aécio têm a ver com isto? Nada, é claro. Mas imagino que ficarão felizes de seu candidato não ser apoiado por um embusteiro intolerante e preconceituoso como Jean Wyllys.
Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

A ditadora Dilma: Golpe é o decreto dela!


A ditadora Dilma: “Nós investigamos, prendemos e punimos”. Então estamos em Cuba! Além de mentir no horário eleitoral, presidente chama de “golpe” denúncias do diretor que o próprio PT nomeou. Golpe é o decreto dela!

Aécio Dilma indignaçãoVeja primeiro esta ‘pérola’ da presidente-candidata Dilma Rousseff (PT), acuada diante das revelações de que a Petrobras era usada para abastecer o caixa do PT:
“Na véspera eleitoral eles sempre querem dar um golpe. E estão dando um golpe. Esse golpe, nós não podemos concordar com ele”, disse Dilma nesta sexta-feira, após uma caminhada em Canoas (RS).
“Eles”? Conta outra! O autor das denúncias é o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto da Costa, nomeado pelo próprio PT no governo Lula e mantido no governo Dilma. Se ele está promovendo um golpe, então a responsabilidade é da presidente e ela mesma a assumiu pela escolha de toda a diretoria da Petrobras na época em que era ministra de Minas e Energia e presidente do Conselho de Administração da estatal: ”o que eu escolhi é responsabilidade minha”, disse.
E quem é Dilma para falar em “golpe”? Golpe é o decreto 8.243, assinado por ela e apoiado por Marina, que transfere parte dos poderes e das responsabilidades do Congresso Nacional para os conselhos ditos “populares”, comandados pela militância do PT.
Pela enésima vez, os petistas seguem a recomendação atribuída a Lenin: “Xingue-os do que você é, acuse-os do que você faz.”
A ditadora
Em Canoas, assim como no horário eleitoral desta noite, a presidente acusou os tucanos de serem lenientes com a corrupção:
“Eles jamais investigaram, jamais puniram, jamais procuraram acabar com esse crime horrível.”
É próprio de quem deixa a corrupção ACONTECER no seu governo acusar os outros de não INVESTIGÁ-LA, coisa que não cabe a governo algum, mas à Polícia Federal.
Mas Dilma ainda teve o cinismo de fazer a maior de todas as inversões: “Eles aparelharam a Polícia Federal.”
Rá! Até os policiais federais, sobretudo os EPAs, denunciam o aparelhamento petista na PF! Esta senhora não enloqueceu. Ela mente!
E ainda foi adiante: “Por isso a Polícia Federal investigou pouco, descobriu pouco, prendeu pouco e condenou muito pouco. Nós, não. Nós investigamos, prendemos e punimos.
Uau! Mais uma frase de ditadora para a coleção de Dilma! “Nós investigamos, prendemos e punimos”? Então já estamos em Cuba!
Como disse Aécio no debate da Record:
“Apenas um alerta à presidente: ela não tem que autorizar a Polícia Federal a prender ninguém. Essa é uma prerrogativa constitucional da Polícia Federal.” Verdade!
Captura de Tela 2014-10-02 às 04.14.11Sujeira no tapete de quem?
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso já havia desafiado Dilma em entrevista à TVeja:
“Nós não pusemos sujeira nenhuma debaixo do tapete. Por que é que eles, nos seus 12 anos [de governo], se tinha sujeira no tapete, não tiraram o tapete para mostrar a sujeira? Aliás, eu desafio: mostre aí onde é que houve algo errado feito pelo meu governo e que tenha sido escondido. O que houve de acusação, e era acusação sem parar, foi tudo para os tribunais. [Resultado:] Nenhuma condenação! O Eduardo Jorge foi sacrificado em público. Ganhou todas! E ainda ganhou indenização. De modo que eu desafio: em vez de ficar dizendo que ‘botou debaixo do tapete’, que ‘tinha um engavetador geral’, diga o que foi! E por que a senhora, ou o seu antecessor, não reabriram a questão?”
Pois é! Não é ela que manda em tudo “nêsti paíf”?
No horário eleitoral, assim como no debate da Record, Dilma ainda mentiu sobre a demissão de Paulo Roberto da Costa. Relembro a matéria do Globo:
Captura de Tela 2014-10-10 às 20.58.37
Em sua propaganda, o PSDB colocou trechos de Aécio no debate da Record, dizendo o mesmo sobre Dilma que ele dissera à tarde: ‘Não há sequer indignação’ com o Petrolão. E não há mesmo!
As mentiras de Dilma em Canoas e no horário eleitoral só mostram como o PT depende delas para se manter no poder. Os petistas estão desesperados com a ascensão de Aécio – e vão mentir até o fim.
Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

Eduardo Jorge admite o que Dilma sempre escondeu: “Éramos a favor da ditadura do proletariado”

Eduardo Jorge admite o que Dilma sempre escondeu: “Éramos a favor da ditadura do proletariado”

Captura de Tela 2014-10-11 às 22.48.34Uma das maiores mentiras disseminadas há décadas no Brasil pela hoje presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) e por quase todos os esquerdistas que participaram da luta armada contra a ditadura militar é a de que eles lutavam pela democracia no país. Crianças, adolescentes e jovens brasileiros aprendem até hoje nas escolas e universidades esta falsificação grotesca da história como se um bando – literalmente – de terroristas sequestradores, assaltantes e assassinos fosse mesmo um grupo de heróis aos quais devemos a nossa liberdade.
“Eu me orgulho muito de ter lutado contra a ditadura do primeiro ao último dia. Porque lutei pela democracia”, mentiu Dilma à Rolling Stone em setembro de 2010. Pior do que isso: em vídeo que já se verá abaixo, ela chegou mesmo a se declarar orgulhosa de suas ações. “Quanto à questão da militância no Brasil, eu quero dizer pra vocês que eu tenho o maior orgulho dela. Eu não renego nenhum dos atos daquele momento.” De fato, ela jamais se desculpou pela morte de Mário Kozel Filho, por exemplo, nem pelo assalto ao casarão onde morava Ana Benchimol Capriglione, amante do ex-governador paulista Adhemar de Barros. “A gente achava que o golpe ia ser grande, mas não tinha noção do tamanho”, disse Dilma em entrevista publicada em 2006. A VAR-Palmares, organização comunista da qual ela era uma das mais ativas militantes, enriqueceu em US$ 2,4 milhões (cerca de R$ 30 milhões em valores atuais).
No post Marco Antonio Villa no Programa do Jô: “Nenhum grupo de luta armada defendeu a democracia”, eu já havia destacado o trecho da entrevista em que o historiador afirma que não há nem um documento sequer daquela época que confirme tal coisa. Eles lutavam é por uma ditadura “no viés soviético, cubano ou chinês”. O ex-deputado Fernando Gabeira é um dos poucos que admitiu em vídeo que a sua luta e de todos os seus companheiros visava um regime assim. Agora – ou melhor, dois meses atrás, mas eu só vi agora -, o trecho de uma entrevista do candidato derrotado Eduardo Jorge (PV) ao militante “ninja” de extrema esquerda (é isso mesmo) Bruno Torturra vem se somar às parcas confissões gravadas.
Veja aí a sinceridade que Dilma nunca teve. Transcrevo abaixo.

“Hoje, eu continuo sendo solicialista, portanto de esquerda, mas sou uma pessoa que acredita que a democracia é uma questão essencial, coisa que nós, na época da esquerda leninista etc., nós não considerávamos. Nós éramos pela ditadura do proletariado. Nós éramos contra a ditadura militar, mas éramos a favor da ditadura do proletariado. Isso aí é preciso dizer a verdade toda. E às vezes eu ouço meias verdades. Como a ditadura militar nos oprimiu barbaramente, de forma violenta, muitas vezes as pessoas pensam que não existia no campo da esquerda coisa igual e até pior, em vários aspectos.”
Agora compare a declaração de Eduardo Jorge com o cinismo incurável da presidente:

Dilma nunca lutou por democracia. Nem naquela época, nem agora, quando impõe o decreto 8.243, transferindo parte do poder do Congresso para conselhos compostos pela militância petista.* É por essas e outras que eu digo: a verdadeira insanidade do nosso tempo foi deixar essa gente chegar ao poder.
Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Ebola: origem, transmissão e como o vírus age no corpo - Saúde - Notícia - VEJA.com

Epidemia

Ebola: origem, transmissão e como o vírus age no corpo

Doença é um desafio para os médicos e cientistas que tentam combatê-la

O mundo enfrenta a pior epidemia de ebola da história, com mais de 8.300 casos e 4.000 mortes registradas na Guiné, Libéria e Serra Leoa, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). A doença, fatal em quase metade dos casos, é um desafio para os médicos e cientistas que tentam combatê-la. Após a manifestação dos sintomas, que pode levar entre dois e 21 dias, a infecção costuma matar em até dez dias.
O tratamento, atualmente, consiste na hidratação e manutenção dos níveis de sódio e potássio do organismo e, eventualmente, na ingestão de medicamentos experimentais. Se o sistema imunológico responde, e o paciente é curado, há indícios de que pode desenvolver resistência ao vírus. Saiba mais sobre a origem do ebola, sua transmissão e como o vírus age no corpo humano:
VEJAEbola

Ebola: origem, transmissão e como o vírus age no corpo - Saúde - Notícia - VEJA.com

Prefeitura de São Paulo libera R$ 55 milhões ao Corinthians - Esporte - Notícia - VEJA.com

Prefeitura de São Paulo libera R$ 55 milhões ao Corinthians

Grupo que administra o Itaquerão já recebeu R$ 405,2 milhões em anistia fiscal

Foto 1 / 18
Ampliar Fotos
Itaquerão, palco da cerimônia oficial de abertura da Copa do Mundo de 2014
Itaquerão, palco da cerimônia oficial de abertura da Copa do Mundo de 2014 - Ivan Pacheco/VEJA.com/VEJA
A Prefeitura de São Paulo liberou mais 55 milhões de reais ao BRL Trust Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A., fundo que administra o Itaquerão. O grupo, que tem como sócios o Corinthians e a Odebrecht, já recebeu 405,2 milhões de reais em anistia fiscal pela construção do estádio, de um total de 420 milhões de reais previstos em lei de 2011. A decisão do governo foi publicada nesta sexta-feira no Diário Oficial da Cidade de São Paulo.
Leia também:
Corinthians recebe empréstimo do BNDES: R$ 260 milhões

Prefeitura libera mais R$ 159 milhões para Itaquerão
O clube também recebeu o certificado de conclusão do investimento e já pode usar no mercado os Certificados de Incentivos ao Desenvolvimento (CIDs) recebidos da Prefeitura. Desde o final da Copa do Mundo o Corinthians e a BRL cobravam mais 70 milhões de reais em incentivos do governo e a autorização para o uso dos CIDs - ainda faltam pouco mais de 14 milhões de reais para a conclusão do estádio.
O Corinthians já havia recebido 350 milhões de reais, mas não podia negociar os certificados com empresas interessadas em abater seus impostos antes de receber o documento atestando a conclusão do estádio.
Com base em um parecer do Tribunal de Contas do Município (TCM) que confirma a conclusão das obras do Itaquerão e seu uso em seis jogos da Copa do Mundo, o governo decidiu aumentar uma liberação de CIDs ao Corinthians feita em maio de 120 milhões de reais para 175,2 milhões de reais, além de liberar o uso dos recursos recebidos até agora. Era uma reivindicação da diretoria corintiana feita alo prefeito Fernando Haddad desde o final de julho.
Prefeitura de São Paulo libera R$ 55 milhões ao Corinthians - Esporte - Notícia - VEJA.com